Search
Close this search box.

Acampamentos do MST na Bahia sofrem ataques de pistoleiros

Atentados foram na região da Chapada Diamantina e Extremo Sul baiano; nesta última, 60 famílias foram despejadas em seguida

Acampamento do MST em São Paulo é alvo de tiros na madrugada deste domingo
Foto: Wellington Lenon
Foto: Wellington Lenon

Na madrugada de quarta-feira (4), duas ofensivas contra famílias Sem Terra acampadas na Bahia aconteceram, ambas com homens armados. Os dois ataques ocorreram em regiões diferentes do estado baiano.

Anuncie no PB Branco

Um dos ataques a tiros ocorreu em Itaeté, região da Chapada Diamantina, e o outro no município de Itabela, na região do extremo sul baiano. Este último posteriormente resultou no despejo de 60 famílias do local, feito pela Polícia Militar.

As famílias denunciam que tem sido recorrente ameaças e ataques de pistoleiros contra Sem Terra na Bahia, assim como em outros estados, onde os conflitos agrários se agravam com um histórico emblemático da escalada de violência no campo.

Tiros na Chapada Diamantina

Na região da Chapada Diamantina, município de Itaeté, o ataque foi feito por volta das 2h da manhã, quando oito homens encapuzados e fortemente armados chegaram atirando contra os barracos que abrigam as famílias do Acampamento Antônio Maero.

Ao acordarem com os tiros, muitas pessoas fugiram para as matas ao redor do acampamento para se protegerem. A polícia já foi acionada e um boletim de ocorrência foi registrado.

“Aterrorizaram, atiraram para tudo que é lado. Nosso povo não sabia para onde correr, caiu no rio, na mata. Crianças, idosos. Uma criança quase se afogou”, relata Abraão Brito, militante do MST na Chapada Diamantina.

O acampamento fica na antiga fazenda improdutiva Dois Rios, e abriga cerca de 300 famílias camponesas que reivindicam a área para fins de reforma agrária.

“Aqui no município de Itaeté está um terrorismo. A gente pede socorro e justiça porque o governo Bolsonaro está matando o povo de fome e de medo. As coisas não estão fáceis aqui”, completa.

“Mas nosso povo resiste na área. Pior não é o medo dos fazendeiros. Pior é a fome que está batendo na porta de todo mundo aqui. O povo não tem para onde ir e prefere morrer do que sair da terra”, conta Abraão.

Ataque seguido de despejo no Extremo Sul da Bahia

O outro ataque ocorreu em Itabela, região do extremo sul da Bahia, no Acampamento Anelicy Sena. Por volta de 2h a 4h da manhã, homens armados dispararam diversos tiros, em uma tentativa de intimidação contra as 60 famílias acampadas.

Os homens chegaram atirando no acampamento, onde era a antiga fazenda Frutille, que estava abandonada há muitos anos antes de ser ocupada.

Após os ataques de pistoleiros, ainda na manhã de quarta-feira (4), a Polícia Militar removeu as famílias da área, que já tinha liminar de despejo. Sem ter para onde ir, os camponeses e camponesas desabrigados foram alojados em um assentamento próximo.

Siga a gente no Insta | Face | TwitterYouTube | Whatsapp.

Acompanhe o Panorama da Bahia no Google Notícias e fique sempre bem informado.

Apoie o Panorama da Bahia com qualquer valor e ajude a manter a integridade da nossa linha editorial: pix@panoramadabahia.com.br

Tags: # #

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

REDES SOCIAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido.