Search
Close this search box.

Hospital Ortopédico não atende regulação por falta de materiais cirúrgicos, aponta denúncia

Inaugurado recentemente, hospital enfrenta problemas de regulação e falta de liberação de órteses e próteses

Governo do Estado abre 246 leitos, sendo 70 de UTI, e acelera transferências de pacientes
Foto: Joá Souza/GovBA
Foto: Joá Souza/GovBA

Ainda sem completar um mês desde sua inauguração, o Hospital Ortopédico da Bahia (Hoba) parece enfrentar sérios problemas que comprometem seu funcionamento adequado e o acesso dos pacientes ao atendimento público de saúde. O caso veio à tona após denúncias de dificuldades no agendamento de cirurgias ortopédicas e na falta de materiais essenciais para esses procedimentos.

Relatos indicam que o Hoba não está disponível para seleção no sistema de regulação de pacientes, o que impede a transferência de casos para sua estrutura, mesmo em situações emergenciais. Um dos casos emblemáticos foi o de uma criança de 12 anos com fratura de fêmur, que aguarda há mais de dez dias por regulação em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Salvador, sem sucesso. Clique aqui e siga nosso canal no WhatsApp.

Segundo informações obtidas junto a médicos e profissionais de saúde, o novo hospital enfrenta dificuldades relacionadas à falta de liberação de órteses e próteses (OPME), materiais essenciais para cirurgias ortopédicas. A ausência desses recursos compromete a capacidade da unidade em realizar procedimentos necessários, gerando transtornos para pacientes que dependem de atendimento urgente.

Anuncie no PB Branco

“Não se pode mais aceitar que o Governo do Estado engane a população desse jeito. Fizeram festa e propaganda na inauguração do hospital, mas na hora que as pessoas realmente precisam ele não funciona. Isso é um engodo. Tem uma criança sofrendo por causa dessa negligência. A Sesab tem que dar explicações sobre esse absurdo e resolver o problema. Isso é inadmissível”, cobrou o médico ortopedista e deputado estadual Alan Sanches (UB).

Além disso, outra preocupação surge com o Hospital Manoel Vitorino, que também não está mais disponível no sistema de regulação como uma alternativa para receber pacientes. “O Governo alegou que iria remanejar os leitos do Manoel Vitorino para o Hospital Ortopédico, mas agora nenhum dos dois está funcionando como deveria. É por isso que a fila da regulação não anda”, criticou Sanches. Clique aqui e siga nosso canal no WhatsApp.

O Panorama da Bahia entrou em contato com a Sesab, pedindo explicações quanto à denúncia. A Sesab disse que “Infelizmente, o parlamentar permanece desinformado sobre o cenário da ortopedia na Bahia. A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) permanece à disposição do mesmo a fim de evitar desinformação sobre um tema tão relevante”. Nós tentamos obter mais informações, mas a Sesab preferiu se limitar a falar somente com o deputado.

Siga a gente no Insta | Face | TwitterYouTube | Whatsapp.

Acompanhe o Panorama da Bahia no Google Notícias e fique sempre bem informado.

Notou algum erro no texto acima? Por favor, nos informe clicando aqui.

Apoie o Panorama da Bahia com qualquer valor e ajude a manter a integridade da nossa linha editorial: pix@panoramadabahia.com.br

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

REDES SOCIAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido.