Search
Close this search box.

Homens invadem missa e matam ao menos 50 em igreja católica na Nigéria

Por ora, não se sabe quem foram os responsáveis pelo ataque nem suas motivações

Homens invadem missa e matam ao menos 50 em igreja católica na Nigéria
Foto: Reprodução Twitter
Foto: Reprodução Twitter

Homens armados invadiram uma igreja católica no sudoeste da Nigéria durante a missa da manhã deste domingo (5), matando pelo menos 50 pessoas, incluindo mulheres e crianças.

Segundo reportagens da mídia local, os homens dispararam contra fiéis e detonaram explosivos na Igreja Católica de São Francisco, na cidade de Owo. A identidade e o motivo dos ataques ainda não foram divulgados.

Funmilayo Ibukun Odunlami, porta-voz da polícia do Estado de Ondo, disse que o bispo e os padres da paróquia sobreviveram ilesos ao ataque. Um médico de um hospital em Owo disse que pelo menos 50 corpos foram levados para dois hospitais da cidade devido ao ataque.

O presidente Muhammadu Buhari condenou o ataque, chamando-o de “hediondo”, e o Vaticano disse que o papa Francisco estava orando pelas vítimas que foram “dolorosamente atingidas em um momento de celebração”.

Há 12 anos a Nigéria enfrenta uma insurreição jihadista no nordeste do país, enquanto grupos criminosos cometem sequestros envolvendo grandes quantidades de pessoas no noroeste e grupos separatistas operam no sudeste.

No sudoeste, ataques como este são raros. O governador do Estado de Ondo, Arakunrin Oluwarotimi Akeredolu, interrompeu uma viagem à capital Abuja e retornou a Ondo após o ataque. “Vamos comprometer todos os recursos disponíveis para caçar esses assaltantes e fazê-los pagar”, disse ele em comunicado.

Siga a gente no Insta | Face | TwitterYouTube | Whatsapp.

Acompanhe o Panorama da Bahia no Google Notícias e fique sempre bem informado.

Apoie o Panorama da Bahia com qualquer valor e ajude a manter a integridade da nossa linha editorial: pix@panoramadabahia.com.br

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

REDES SOCIAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido.