Search
Close this search box.

Em live com Daniel Cady, Ivete fala de posicionamento político e boatos sobre uso de drogas

As pautas principais da conversa foram alimentação e hábitos saudáveis; assista o vídeo

Ivete Sangalo fala sobre relação com drogas e política
Foto: Reprodução/Youtube
Foto: Reprodução/Youtube

No último domingo (27), a cantora e apresentadora baiana Ivete Sangalo e o marido, o nutricionista Daniel Cady, realizaram a live Papo sobre a Mesa, para o canal do Youtube de Cady. A conversa descontraída pautou alimentação e hábitos saudáveis. Ivete aproveitou o bate-papo para fazer desabafos e esclarecer rumores que a envolviam.

“Já tiveram muitos momentos em que as pessoas duvidaram, né? Poucas pessoas, em momentos pontuais, mas que duvidaram da minha energia física. ‘Será que ela tinha relação com alguma droga? Será que toma coisas para entrar no palco?’”, disse a cantora. Ela esclareceu que a sua energia é fruto de uma coleção de hábitos diários que a tornam mais saudável.

A live também abordou a pressão estética e o emagrecimento. Ivete revelou que ouviu “coisas horrorosas” após a sua gravidez, como comentários ofensivos sobre o seu corpo. Mas os comentários não a abalaram: “Tinha tanta força e conviccção do que eu acreditava naquele momento que aquilo nem fez cócegas”. Durante a transmissão, o casal reforçou muitas vezes que saúde não tem relação com o peso.

A artista também comentou sobre cobranças de posicionamento político. “Eu sou artista. Muitas vezes eu leio coisas sobre expectativas ao meu respeito, sobre discursos, pensamentos e comportamentos do que se pode esperar de mim”, disse. Até o ano passado, a cantora foi muito cobrada nas redes sociais por não se manifestar sobre o governo Bolsonaro.

“É muito engraçado como muitas pessoas querem fazer escolhas por nós e não compreendem os momentos das nossas próprias escolhas. Eu faço escolhas na minha vida artística e como mãe, dona de casa, como esposa e como amiga, que às vezes não é do conhecimento de ninguém, é só meu mesmo”, argumentou Ivete.

Entretanto, em 2007, Ivete participou do “Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros”, que ficou conhecido como “Cansei”, ao lado de Regina Duarte e as apresentadoras Ana Maria Braga e Hebe Camargo. Surgido logo após o acidente com o voo 3054 da TAM – em que toda a tripulação morreu – a ideia era protestar contra o “caos aéreo”, “a corrupção” e “a falta de segurança”, mas ficou identificado como uma expressão do antilulismo por parte de setores da elite brasileira.

Anuncie no PB Branco

Recentemente, Ivete incentivou o público de um show em Natal, no Rio Grande do Norte, a gritar insultos contra Bolsonaro. Em um vídeo que viralizou, a plateia da cantora ecoa: “Ei, Bolsonaro, vai tomar no cu”, e Ivete inflama: “Não ouvi, está baixinho”. A baiana afirma ainda: “Ele vai acabar escutando, de tão alto que foi”. Bolsonaro ouviu e respondeu que a artista estava “chateada” por causa do corte na Lei Rouanet, programa de incentivo à cultura do qual Ivete nunca se beneficiou.

Assista a conversa de Ivete com Daniel na live Papo sobre a Mesa:

Siga a gente no Insta | Face | TwitterYouTube | Whatsapp.

Acompanhe o Panorama da Bahia no Google Notícias e fique sempre bem informado.

Notou algum erro no texto acima? Por favor, nos informe clicando aqui.

Apoie o Panorama da Bahia com qualquer valor e ajude a manter a integridade da nossa linha editorial: pix@panoramadabahia.com.br

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE

PODCAST

REDES SOCIAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido.