Search
Close this search box.

Baiano Ednaldo Rodrigues é o novo presidente da CBF

Candidato de chapa única, Rodrigues ocupava interinamente a presidência da CBF, desde agosto do ano passado

Presidente da CBF
Foto: Lucas Figueiredo/CBF
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) elegeu nesta quarta-feira (24) Ednaldo Rodrigues, como o novo presidente da entidade, pelo período de quatro anos. Candidato de chapa única, Rodrigues ocupava interinamente a presidência da CBF, desde agosto do ano passado, quando Rogério Caboclo foi destituído do cargo, após acusações de assédio sexual e moral. A eleição aconteceu menos de 24 horas após decisão do juiz Henrique Gomes de Barros Teixeira (1ª Vara Cível de Maceió) suspendendo o pleito, após ação impetrada por Gustavo Feijó, um dos oito ex-vice-presidentes da CBF (gestão Caboclo).

O novo presidente da Confederação foi eleito por 137 votos de um total de 141. Das 27 federações, apenas a Alagoana faltou ao pleito. Os votos dos 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro tiveram peso 2, totalizando 40. Já a soma de votos da Série B (peso 1) foi de 19, já que a Ponte Preta não votou, por conta de problema com a procuração.

Logo após a eleição na sede da CBF, no Rio de Janeiro, Ednaldo Rodrigues tomou posse ao lado de seus oito vice-presidentes, e falou das dificuldades que passou interinamente como presidente interino.

“Nesses últimos meses, eu sofri todo tipo de pressão, todo tipo de preconceito, tive meus telefones grampeados, meus e-mails violados, o e-mail do gabinete da presidência da CBF também violado. E preconceitos que ainda existem em todos os segmentos da sociedade, mas que sempre eu procurei resistir. O preconceito por ser do Nordeste, por ser baiano com muito orgulho, por ser do interior, de Vitória da Conquista onde nasci e me orgulho de ser filho. O preconceito por ser negro. Essa é a grande realidade, a grande resposta”, disse Rodrigues.

O dirigente também deixou uma mensagem de unificação voltada às federações e respectivos representantes.

“Que esta entidade seja dos filiados, das federações, dos clubes da Série A, da B, da C, da D, do futebol brasileiro. E que nenhuma interferência externa possa subjugar este trabalho. Neste momento, quero agradecer a todos vocês de uma forma penhorada, por esse apoio, por esse decisivo não ao preconceito. E dizer que, juntos, queremos construir um futebol brasileiro que seja de pureza, de transparência, em que os clubes possam ter voz, não só votos. Que eles desenhem o que é melhor para todos eles. Que as federações coloquem seus nomes na modernidade do futebol brasileiro”.

Dos oito vices que tomaram posse também nesta quarta (23), metade é estreante no cargo. É o caso de Rubem Lopes (presidente da Ferj), Reinaldo Carneiro Bastos (presidente da Federação Paulista), Hélio Cury (presidente da Federação Paranaense) e Roberto Góes (presidente da Federação do Amapá). Entre os remanescentes da gestão Caboclo, está Antônio Aquino (presidente da Federação do Acre) e três vices sem envolvimento com federações: Francisco Noveletto (Rio Grande do Sul), Marcus Vicente (Espírito Santo) e Fernando Sarney (Maranhão).

Biografia

Ednaldo Rodrigues Gomes é natural de Vitória da Conquista, na Bahia, e tem 68 anos. Formado em Ciências Contábeis, tem especialização nas áreas de Auditoria Financeira e de Gestão Administrativa. Sua relação com o futebol começou bem cedo, quando foi jogador de futebol amador nas décadas de 1970 a 1980. Tão logo sua passagem pelos gramados se encerrou, Ednaldo passou a se dedicar à administração esportiva.

Sua primeira experiência foi como Presidente da Liga Conquistense de Desportes Terrestres. No ano de 1992, Ednaldo Rodrigues passou a ser Diretor do Departamento do Interior da Federação Baiana de Futebol (FBF) até o ano 2000. O trabalho o levou à Presidência da FBF, cargo que assumiu em 2001 e para o qual foi reeleito em outras duas oportunidades.

Anuncie no PB Branco

A passagem de Ednaldo Rodrigues pela Federação Baiana ficou marcada pela forte defesa dos interesses do futebol baiano e regional, em meio à capacidade de diálogo e de coalizão com as demais federações. Foi um dos maiores defensores da Copa do Nordeste, liderou a reformulação no campeonato estadual da Bahia, além de ter investido no fortalecimento do futebol feminino e nas categorias de base. Ednaldo Rodrigues permaneceu na presidência da federação até 2018, quando passou a ocupar a cadeira de vice-presidente da CBF.

No cargo de vice-presidente da entidade nacional, Ednaldo Rodrigues seguiu trabalhando por um futebol mais justo, principalmente com as regiões que mais precisavam de investimento. Orgulhoso de sua origem nordestina e de ser um dirigente negro, sempre teve sempre atuação destacada na área social por meio de projetos do futebol.

No ano de 2019, ele foi homenageado pela Assembleia Legislativa da Bahia. Ednaldo Rodrigues recebeu dos parlamentares a Comenda Dois de Julho, maior honraria do Legislativo da Bahia, entregue a pessoas que contribuíram com o desenvolvimento do Estado. Ele a recebeu justamente pelos serviços prestados à frente do futebol baiano.

Siga a gente no Insta | Face | TwitterYouTube | Whatsapp.

Acompanhe o Panorama da Bahia no Google Notícias e fique sempre bem informado.

Apoie o Panorama da Bahia com qualquer valor e ajude a manter a integridade da nossa linha editorial: pix@panoramadabahia.com.br

Tags: # #

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

LEIA TAMBÉM

PUBLICIDADE
master banner

REDES SOCIAIS

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

error: Conteúdo protegido.